Ir para conteúdo

Curta Curitiba ao ar livre

Este guia é pra você que quer fugir da aglomeração e curtir Curitiba ao ar livre.

Listamos aqui um monte de lugar legal que você pode visitar como parques, memoriais e museus com áreas a céu aberto. Para se locomover vamos te dar algumas sugestões como a Linha Turismo, que é toda aberta no andar superior e também há opções para fazer a pé e de bicicleta.

 

Museus com espaços ao ar livre

Museu da Vida

Para brincar e interagir com a natureza, o Museu da Vida é o espaço ideal. Antigo Lar das Meninas, o museu é mantido pela Pastoral da Criança e é um espaço interativo, de encontros e de produção de saberes com várias exposições e áreas de lazer ao ar livre. As exposições contêm elementos interativos que oferecem oportunidades variadas para as crianças e suas famílias e também retrata a história da Pastoral da Criança e de sua fundadora, Dra. Zilda Arns Neumann.

 

Museu de História Natural / Bosque Capão da Imbuia

Considerado um dos últimos remanescentes que caracterizavam a paisagem dos ‘campos de Curitiba’ na região, o Bosque apresenta o ´Caminho das Araucárias’, uma passarela elevada que conduz o visitante por uma trilha com 400 m, que percorre o interior da mata. Neste percurso são conhecidos alguns elementos naturais, a fauna e a flora da Floresta com Araucária. O museu é reconhecido nacionalmente pela qualidade do seu trabalho na área da pesquisa zoológica, abrangendo diferentes grupos de animais.

 

Museu Egípcio/Rosa Cruz/Tutankhamon

O Museu Egípcio é formado por objetos relacionados ao Antigo Egito, possuindo peças que contam a história dos faraós, da religião e do cotidiano daquela civilização. Na área externa tem a Alameda das Esfinges, pirâmide, obelisco e estátua do imperador romano. O Museu Rosacruz apresenta objetos recebidos pelos Três Grandes Mestres da AMORC-GLP e informações sobre a instituição. O Museu Tutankhamon mostra como foi o período das grandes escavações no Cairo e como era a vida de um monarca egípcio desde a infância, a religião e vida após a morte e sepultamento.

 

Museu Oscar Niemeyer

Um dos maiores museus da América Latina, foi projetado pelo arquiteto Oscar Niemeyer, é formado pelo prédio principal, projetado em 1967 e um anexo, concebido em 2001 e inspirado na araucária, árvore de grande porte e símbolo do Paraná. Sua estrutura de 35 mil m² abriga mais de 7 mil obras de artistas reconhecidos nacional e internacionalmente. Sua forma elíptica e as paredes de vidro conferiram ao MON o apelido de “Museu do Olho”. Além de toda a parte externa com sua arquitetura fantástica, há o Pátio das Esculturas, um espaço expositivo ao ar livre, localizado no subsolo do museu, onde estão expostas, em caráter permanente, 18 obras tridimensionais do acervo do MON.

 

Memoriais a céu aberto

Centro Histórico

Conjunto das mais antigas edificações da cidade. Entre essas construções estão a Casa Romário Martins, do século XVIII e a Igreja da Ordem Terceira de São Francisco, de 1737, além dos exemplares arquitetônicos de inspiração alemã, datados da segunda metade do século XIX. Nas manhãs de domingo, as velhas pedras do Largo da Ordem e o calçadão de acesso à Praça Garibaldi, com a Igreja do Rosário, o Relógio das Flores, a Fonte da Memória e a Società Giuseppe Garibaldi, formam o cenário da Feira de Arte e Artesanato, animado ponto de encontro com mais de 1000 expositores, comida, música ao vivo.

 

Memorial Paranista / Jardim das Esculturas – Parque São Lourenço

O parque São Lourenço une natureza, arte e cultura. É um dos mais antigos da cidade, implantado em 1972 para recuperar estragos do rompimento da represa do Rio Belém. Agora conta também com o Memorial Paranista e o Jardim das Esculturas João Turin. São esculturas do grande nome do Paranismo, João Turin, considerado o precursor da escultura no Paraná.

 

Memorial Ucraniano – Parque Tingui

Para representar a cultura ucraniana, aqui tem o portal e a réplica da antiga capela de São Miguel (de Mallet-PR) construída em madeira, em estilo bizantino, onde há uma exposição de pêssankas (ovos pintados à mão), bordados e outros ícones da cultura ucraniana. Ao lado da capela está o campanário, que simboliza a integração à nova terra e a importância da religião como mantenedora da unidade cultural. Na casa típica da arquitetura ucraniana funciona a loja de souvenirs, onde são vendidos produtos artesanais. O Memorial possui ainda um palco e uma pêssanka gigante, feita pelo artista Jorge Seratiuk.

 

Memorial Polonês – Bosque João Paulo II

Também conhecido como Bosque do Papa, o local foi inaugurado em 1980, logo após a visita do Papa João Paulo II a Curitiba. Além da área de bosque, possui sete casas feitas de troncos, que integram um memorial da imigração polonesa, no qual é possível conhecer suas tradições, sua arte, suas crenças e seus hábitos, contendo objetos como a velha carroça, a pipa de azedar repolho e uma imagem da padroeira, a Virgem Negra de Czestochowa.

 

Memorial Africano – Praça Zumbi dos Palmares

A Praça Zumbi dos Palmares é uma homenagem ao líder do Quilombo dos Palmares e abriga o Memorial Africano, inaugurado em 2010. Com um grande portal na entrada principal, possui 54 colunas representando os países do continente. Além das 54 colunas, outras duas, amarelas, com o dobro do tamanho das demais, completam o portal e simbolizam a educação e a cultura. Um mosaico de pedras nas cores preto, branco e vermelho forma o mapa do continente africano. A praça conta com espaço para eventos e ampla estrutura para atividades físicas.

 

Memorial Inglês – Parque Gomm

O parque fica em uma área arborizada, com mais de uma centena de espécies, entre elas, muitas araucárias. Nele estão também a Casa Gomm, uma antiga residência familiar e o Memorial Inglês. Uma cabine telefônica vermelha, um dos ícones urbanos daquele país, ganhou espaço de destaque em meio a vários elementos que remetem à cultura britânica.

 

Memorial da Imigração Japonesa – Praça do Japão

Aqui se homenageia os japoneses que se radicaram na região. Estão espalhadas pela praça 30 cerejeiras enviadas do Japão pelo Império Nipônico, e lagos artificiais nos moldes japoneses. Em 1993, foi construído o Portal Japonês, a Casa da Cultura e a Casa de Chá. Há uma escultura de Tomie Ohtake, que representa as relações do Brasil com o Japão, instalada em 2018.

 

 

Curta Curitiba a pé

Você pode conhecer uma boa parte da cidade a pé, acesse aqui o Curta Curitiba a pé e aproveite a cidade caminhando.

 

 

Curta Curitiba de bicicleta

Aqui temos várias sugestões de roteiros para você conhecer a cidade pedalando. E se por acaso cansar, dá pra embarcar com as bicis em alguns ônibus da Linha Turismo (os que tem um adesivo de bicicleta na porta traseira)

 

 

 

Parques no Roteiro dos Ônibus da Linha Turismo

 

Barigui

Criado em 1972, tem 1,4 milhão de m² e é refúgio de diversos animais nativos e migratórios. É também o parque mais frequentado pelos curitibanos. O nome “barigui”, em tupi-guarani significa “rio do fruto espinhoso”. O parque possui várias opções de lazer como parquinhos, academia, quiosques, restaurante, lanchonete, entre outros. O Museu do Automóvel, fundado em 1976, possui mais de 150 veículos que são expostos alternados nas 70 vagas existentes no espaço. É um dos museus deste gênero mais expressivos no país. Além de ser Um dos principais parques da cidade, o Barigui possui opções culturais como a Casa da Leitura Manoel Carlos Karam, uma biblioteca municipal com acervo de literatura universal e o Teatro da Maria Fumaça, espaço ao lado da Casa da Leitura, para contações de histórias e rodas de leitura. Conta também com Parque de Exposições e Centro de Convenções com 7.500 m2 estruturados para receber grandes exposições, convenções e feiras. Há também uma mini usina hidrelétrica instalada no vertedouro do lago. 

 

Tanguá

O parque, considerado um dos melhores locais para apreciar o pôr do sol em Curitiba, conta com um mirante em semicírculo que também proporciona uma linda vista da cidade. O mirante fica em cima de um paredão de pedra de uma antiga pedreira. Inaugurado em 1996, o parque faz parte do projeto de preservação do Rio Barigui, juntamente com o Parque Tingui e Barigui. Possui pista de cooper, ciclovia, mirante, lanchonete e o Jardim Poty Lazzarotto. Do deck pode-se admirar a pedreira e a queda d’água. 

 

Bosque Alemão

O Bosque Alemão homenageia os imigrantes alemães e seu legado cultural. Entre suas atrações está o Oratório Bach (réplica de uma antiga igreja presbiteriana), a trilha de João e Maria (que narra o conto dos irmãos Grimm), a Casa da Bruxa (uma biblioteca infantil), a Torre dos Filósofos (mirante com vista panorâmica da cidade e da Serra do Mar) e a Praça da Poesia Germânica, na qual está a reprodução da fachada ornamentada da Casa Mila, construção representativa da arquitetura característica dos germânicos, que tinha como endereço a Rua Barão do Cerro Azul.

 

Passeio Público

O Passeio Público, inaugurado em 1886, foi o primeiro parque e a primeira grande obra de saneamento da cidade. O charco que havia no local foi transformado em espaço de lazer, com lagos, pontes e ilhas em meio ao verde. Já foi o zoológico de Curitiba e ainda hoje abriga alguns pequenos animais. Seu portão é uma cópia do que existe no Cemitério dos Cães de Paris. Próximo encontra-se várias atrações, como o Solar do Barão que abriga o Museu da Fotografia, o Museu da Gravura e a Gibiteca. O Memorial Árabe, construído em homenagem à cultura do Oriente Médio, funciona como biblioteca especializada. Também tem o Colégio Estadual do Paraná, considerado o maior e mais antigo colégio público do estado. Já o Palacete dos Leões, casa da ervateira família Leão, foi construído em 1902 e hoje acolhe um espaço cultural. Do outro lado da avenida encontra-se a Capela da Glória, templo em estilo Neoclássico, erguido em 1885.

 

Bosque Zaninelli/UNILIVRE

A Universidade Livre do Meio Ambiente, conhecida como Unilivre, está localizada em meio ao verde do Bosque Zaninelli, onde antigamente funcionava uma pedreira. O projeto arquitetônico, executado com materiais rústicos, representa na forma e nas cores os quatro elementos da natureza: terra, fogo, água e ar.

 

 

São Lourenço

Este parque une natureza, arte e cultura. É um dos mais antigos da cidade, implantado em 1972 para recuperar estragos do rompimento da represa do Rio Belém. O parque é perfeito para caminhar, andar de carrinho de rolimã e contemplar a área verde nativa. Agora conta também com o Memorial Paranista e o Jardim das Esculturas João Turin. São esculturas do grande nome do Paranismo, João Turin, considerado o precursor da escultura no Paraná.

 

Pedreiras / Ópera de Arame

Com estrutura tubular e teto transparente, a Ópera de Arame é um dos símbolos emblemáticos de Curitiba. Inaugurada em 1992, acolhe todo tipo de espetáculo, do popular ao clássico, e tem capacidade para 1.572 espectadores. Em meio a lagos, vegetação típica e cascatas, faz parte do Parque das Pedreiras Jaime Lerner, juntamente com a Pedreira Paulo Leminski, que desde 1989 é cenário de grandes eventos. A Pedreira pode abrigar, ao ar livre, 20.000 pessoas.

 

Jardim Botânico

Inaugurado em 1991, leva o nome de Jardim Botânico “Francisca Maria Garfunkel Rischbieter”. Um dos maiores cartões postais de Curitiba, sua principal atração é a estufa que abriga exemplares vegetais naturais e ornamentais da flora da Mata Atlântica. Há também os jardins ao estilo francês, com plantas renovadas a cada estação, chafarizes e uma fonte, com a réplica da estátua “Amor Materno”. O Jardim Botânico conta ainda com atrações como o Jardim das Sensações, a Galeria das Quatro Estações, lagos, fontes, pista de caminhada entre outros.

 

Tingui

Parte do maior parque ambiental linear do país, implantado em 1994 às margens do rio Barigüi, recorda os indígenas que aqui habitavam, através da estátua do Cacique Tindiqüera. Possui pista de caminhada, parquinho, academia ao ar livre, sendo um ótimo local para se exercitar e apreciar a natureza.

 

 

 

Bosque do João Paulo II

Também conhecido como Bosque do Papa, o local foi inaugurado em 1980, logo após a visita do Papa João Paulo II a Curitiba. Além da área de bosque, possui sete casas feitas de troncos, que integram um memorial da imigração polonesa, no qual é possível conhecer suas tradições, sua arte, suas crenças e seus hábitos, contendo objetos como a velha carroça, a pipa de azedar repolho e uma imagem da padroeira, a Virgem Negra de Czestochowa.

 

 

Parques mais afastados do centro, mas que valem a visita:

 

Zoológico

Localizado no Parque Municipal Iguaçu, o Zoológico Municipal de Curitiba é um importante centro de lazer e conexão com a natureza por meio da contemplação. Inaugurado em 1976, possui em média 1.800 animais de mais 127 diferentes espécies, tanto nativas do Brasil, quanto de outras regiões do mundo.

 

 

Parque Passaúna

O parque foi inaugurado em 1991, integrando a Área de Proteção Ambiental – APA Estadual do Passaúna. Um mirante de 12 metros de altura localizado no alto de um morro à beira da represa, a 60 metros do nível do lago, proporciona uma visão privilegiada da região. Ao longe também podem ser avistadas as chaminés de antigas olarias. A trilha ecológica, com 3,5 km, junto ao lago e em meio à vegetação, percorre caminhos com pontes de madeira e recantos. Na represa do Passaúna pode-se fazer passeios de caiaque ou de canoa havaiana e prática de stand up paddle.

 

Parque Lago Azul

O parque ocupa 128 mil m2, e nas décadas de 1960 e 1970 já funcionava como um parque particular. As antigas instalações foram restauradas e modernizadas para uso público. A casa de madeira que era a sede da propriedade foi transformada em um bistrô. Um moinho de milho também está recuperado e é uma das atrações do parque. Possui ainda um mirante de madeira com vista do lago, trilhas em meio ao bosque, churrasqueiras e área de lazer infantil. A região do entorno foi colonizada por poloneses e italianos que aqui se instalaram no final do século XIX. A Igreja São Pedro é um marco na paisagem, construída na década de 1930, assim como as casas remanescentes da colonização, que também trazem um ar bucólico para a região.

 

Bosque Reinhard Maack

Lugar para a diversão radical em meio a natureza. São mais de 78 mil m2 de área, cobertos pela vegetação original de Curitiba, os chamados "capões". Sua grande atração é a Trilha da Aventura, que em seus 900 metros de extensão possui um conjunto de 16 brinquedos construídos em madeira, e outros materiais rústicos voltados para o público infantil. O bosque pode ser visitado nos finais de semana e feriados, exceto nos dias de chuva e no dia seguinte, por segurança, pois as trilhas se tornam escorregadias.

 

 

 

 

 

Parque Barreirinha

Segundo parque municipal mais antigo de Curitiba, existe desde 1959 e é uma das mais importantes unidades municipais para a proteção e conservação da flora e da fauna. Com 275,4 mil m2, além de três grandes lagos possui bosques de área verde e preservação natural. Anexo ao parque está o Horto da Barreirinha, que desempenha função científica e educativa, além de ser responsável pela pesquisa e produção de mudas de árvores e arbustos ornamentais.