Ir para conteúdo

Cinco experiências de cultura nipônica para conhecer em Curitiba

imigração japonesa

  • Aniversário da imigração japonesa
  • Aniversário da imigração japonesa
  • Aniversário da imigração japonesa
  • Aniversário da imigração japonesa
  • Aniversário da imigração japonesa
  • Aniversário da imigração japonesa
  • Aniversário da imigração japonesa
  • Aniversário da imigração japonesa
  • Aniversário da imigração japonesa
  • Aniversário da imigração japonesa
  • Aniversário da imigração japonesa
  • Aniversário da imigração japonesa
  • Aniversário da imigração japonesa
  • Aniversário da imigração japonesa
  • Aniversário da imigração japonesa
  • Aniversário da imigração japonesa
  • Aniversário da imigração japonesa
  • imigração japonesa
  • imigração japonesa
  • imigração japonesa
  • imigração japonesa
  • imigração japonesa
  • imigração japonesa
  • imigração japonesa

 

Neste sábado (18/6), comemora-se os 114 anos da imigração japonesa, data em que o navio Kasato Maru aportou em Santos trazendo 165 famílias para o Brasil. Para celebrar a data confira cinco experiências da cultura nipônica na cidade.

1 - Gastronomia no Mercado Municipal

Estão instalados no Mercado Municipal restaurantes e lojas que oferecem comidas e petiscos japoneses tradicionais. Fica a cargo do visitante a difícil escolha do local para degustar tempurás, guiozas, teppan yakis, yakisssoba, guiu domburi, katsudon e os lámens. 

Para imigrantes saudosos e amantes da cultura japonesa, diversas lojas oferecem centenas de produtos nipônicos, que vão de balas, chocolates, biscoitos, a arroz, algas, temperos, acessórios e objetos de decoração. 

Visitar o espaço também é um mergulho em uma miscelânea de cores e sabores do mundo inteiro.

2 - Praça do Japão 

 

3 - Florada das cerejeiras 

No Japão o Festival Hanami é um dos eventos mais bonitos da terra do sol nascente, quando são contempladas as sakuras, como são chamadas as flores das cerejeiras. Em Curitiba as árvores florescem no inverno e o espetáculo da natureza pode ser visto em diversos lugares. 

Praça do Japão
Um dos mais famosos cartões-postais da cidade, a Praça do Japão abriga 30 cerejeiras enviadas diretamente do Japão. Construída por imigrantes que chegaram na região por volta de 1910, ao longo dos anos o local foi ganhando outros atrativos, como o Portal Japonês, o Memorial da Imigração e obras de arte.

Jardim Botânico
As cerejeiras do Jardim Botânico são consideradas um clássico dos invernos curitibanos. O corredor de cerejeiras está logo na entrada e é cada vez mais procurado por turistas e moradores que visitam o tradicional cartão-postal de Curitiba.

Parque Tanguá
Localizado em uma região de pedreiras desativadas e com topografia acidentada, o parque recuperou e valorizou diferentes elementos da natureza.

Na entrada principal do Parque Tanguá, há um pequeno bosque repleto de cerejeiras. Além das cerejeiras, de diversos tamanhos, o parque é cheio de atrativos naturais.

Uma cascata com 65 metros de altura jorra da parte superior do paredão de rocha, onde está o Jardim Poty Lazzarotto (1924 -1998), em estilo francês, homenagem ao artista plástico curitibano, com canteiros de flores, espelhos d’água e chafarizes.

Praça Tsunessaburo Makiguti
Com mais de 5 mil metros quadrados, o local abriga 70 cerejeiras, formando um cenário cor-de-rosa. Localizada no bairro Jardim das Américas, a Praça Tsunessaburo Makiguti foi o primeiro local a receber as mudas vindas do Japão.

A praça leva o nome do filósofo japonês Tsunessaburo Makiguti, fundador da escola de valores humanistas conhecida como Soka Gakkai e além das cerejeiras tem áreas de convivência, parquinho, ciclovia e uma pista de patinação.

Praça Himeji
A pequena praça localizada no bairro Mercês leva o nome da cidade japonesa de Himeji. Inaugurada em 1988 na Rua Dom Alberto Gonçalves, além das cerejeiras pode ser visto também uma pequena construção simbolizando os antigos castelos japoneses.

Rua Anita Garibaldi
A florada das cerejeiras também pode ser vista ao longo da Avenida Anita Garibaldi. Com cerca de oito quilômetros de extensão, a avenida corta ao menos sete bairros e as flores trazem mais beleza no trajeto. 

4 - Festival Brasileiro de Taiko 

No dia 24 de julho, Curitiba se transformará na capital nacional dos tambores japoneses. O evento acontecerá no Teatro Positivo, no bairro Campo Comprido.

Baseado nos moldes do concurso da Nippon Taiko Foundation que ocorre no Japão, as equipes participantes realizam apresentações e são avaliadas por uma banca de jurados composta por pessoas experientes com competência cultural e técnica na arte do Taiko.

O Brasil é o único país além do Japão que possui um evento neste modelo. Ao longo dos anos o festival trouxe um rápido desenvolvimento técnico e criativo para o taiko brasileiro. 

5 – A arte dos mangás

No universo das histórias em quadrinhos, o mangá está entre um dos estilos narrativos mais famosos. A arte japonesa rompeu fronteiras e acabou se espalhando pelo mundo, conquistando fãs em todos os locais. 

Em Curitiba, o centro cultural da Gibiteca oferece cursos de quadrinhos para ilustradores de vários níveis de experiência, desde iniciante ao avançado e o mangá é uma das técnicas ensinadas no local.

Os profissionais curitibanos do desenho, "crias" da Gibiteca, despontam no cenário nacional e internacional, com vários prêmios como o HQ MIX (o Oscar dos quadrinhos nacional) e trabalhos em quadrinhos, revistas, jornais e sites dentro e fora do Brasil.

Quer compartilhar?